sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Agenor Santos - o Trovão

Agenor Santos fazia parte da propaganda volante do senhor Raul dos Santos Ferreira que era chamado de “senhor rauland”, “a voz de ouro do Pará”, “o som da Amazônia”, amplificando a emoção dos paraenses. Embora já tivesse um nome consagrado em rádio AM, Santos era famoso também por este trabalho de comunicação fora do ar, no caso a cobertura da sonorização de “poste” do evento religioso o “Arraial de Nazaré” onde a marca dos Ferreira era conhecida como “Rauland: A voz de Nazaré”. Junto com os filhos e o irmão de Raul Ferreira, o comunicador dirigia o evento dentro do espaço físico onde se instalavam (e se instalam), os parques de diversões às proximidades da Basílica e do Centro Arquitetônico de Nazaré. Talvez, nem se desse conta de que estava dando ignição a um dos mais tradicionais Grupos de Comunicação do estado do Pará. Ali nascia a Rauland, a primeira FM do Pará e sendo praticamente um membro da família o “Caboco Agenor”, como foi apelidado pelo patrão foi responsável, junto com outros nomes a fazer na FM uma programação de AM, com utilidade pública e musicas populares. Santos já tinha a experiência da Rádio Clube onde fez muito sucesso na década de 70 com sua voz marcante e apresentação popular.
Afinal, até então, as FMs mantinham na programação musical MPB, música internacional, etc. E foi com esta “nova onda” que a Rauland já chegou conquistando ouvintes e Santos fez parte de todo esse processo histórico. Apesar de que nesse período a Guajará que também tinha passado para FM, também tentava popularizar sua programação, a emissora dos Ferreira era imbatível pela aposta em nomes experientes como, além de Agenor Santos, Edson Matoso e Kzan Lourenço. 
Além da Rauland, Agenor Santos também passou pelas Rádios Marajaora e Clube. Seu falecimento precoce deixou um vazio no rádio que até hoje não foi superado, embora amenizado pela recente ascensão do seu filho, também Agenor Santos, que na apresentação do programa de maior audiência da TV paraense tras a recordação do “Caboco” de talento incomparável na comunicação.
Atualmente, o filho do "Caboco" faz sucesso como apresentador de TV e rádio, de mesmo nome, o jovem não esconde o orgulho do pai, Agenor Santos.

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Mauro Cléber

Jornalista, radialista e executivo, Mauro Cléber nasceu para o rádio numa das décadas mais produtivas de radialistas, os anos 80.
Foi em meados de 1984 que ele iniciou na Rádio Carajás, hoje 99 FM. Ele conhecia Hélio Dória, que o levou para fazer um teste com Heloísa Huhn. Passou também pela 100,9 FM, Rádio Jovem, Rádio Cidade e Jovem Pan. Atualmente presta consultoria de marketing para Mix e Marajoara AM. Mauro também possui experiência como apresentador de programa de TV. Mauro também possui experiência de colunista no jornalismo impresso jornal.
Foi diretor de marketing da ADVB. Em seguida se tornou presidente e hoje é conselheiro. Também possui uma agência de comunicação e consultoria. Afinal ele é especialista em consultoria artística, comercial e marketing de rádio.
Segundo Mauro, o rádio mudou numa velocidade brusca mas não perdeu a magia da locução. "Isso me encanta", diz ele.

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Marcos Aleixo – Repórter Cultura

Formado em Administração, com ênfase em Marketing, tem experiência de quase 20 anos em rádio e televisão, atuando como produtor, editor, apresentador e repórter. É repórter da Rádio Cultura há sete anos e há seis atua como repórter também na TV RBA. Tem experiência também como locutor de rádio e apresentador de TV.
J Batista,José Vieira,Saudoso Chefe Hamilton Pinheiro,e eu na primeira festa da Fiepa


Fonte: Concurso Fiepa de Jornalismo

Carlos Ferreira - Comentarista Padrão

 Todos os dias, ele é presença garantida no Bom Dia Pará da TV Liberal. É pensar em esporte e logo se associa o nome de Carlos Ferreira, nascido em 15 de Novembro de 1964, em Castanhal-Pa Já são mais de 10 anos na mesma emissora. Mas a trajetória de Carlos na comunicação começou no rádio em 1981como repórter esportivo na Rádio Rauland AM de Castanhal.
Passou pela Rádio Clube do Pará mas atualmente integra a equipe esportiva da Rádio Liberal CBN.
Ao longo de quase 35 anos fez jornalismo geral no Rádio. Na TV e Jornal somente jornalismo esportivo. É uma paixão provocada pelo fascínio que o Rádio sempre exerceu sobre ele, especialmente com as transmissões de futebol. Segundo ele o que é fascinante no jornalismo esportivo é “a liberdade que o tema oferece para a criatividade na abordagem. O esporte é uma tradução da sociedade. Expressa as ilusões e desilusões, a criatividade, a agressividade, o perdão, a competitividade, o congraçamento, a figura do herói, a figura do vilão, as contradições, as injunções políticas, os aspectos legais, fisiológicos, sociais. O esporte é um riquíssimo laboratório social à luz do jornalismo.
Carlos Ferreira” conforme ele disse em entrevista em 2013.
Está em permanente aprimoramento. “Minha experiência mais gratificante foi a cobertura da Copa do Mundo de 2006, na Alemanha, com dois meses de trabalho, circulando por outros países da Europa, convivendo com os melhores profissionais do jornalismo esportivo do país” comenta. 

Guto Miranda - Voz de Campeão

Guto na Rádio Marajoara FM
Nascido no bairro da Pedreira, em Belém, no dia 27 de maio de 1971, José Augusto Miranda Maciel, o Guto Miranda, já demonstrava talento para a comunicação. Enquanto acompanhava aos jogos entre Asas do Brasil x Expressinho no campo onde hoje existe um edifício, o então menino, impressionava pela comunicação fluente e o timbre de voz grave. Começou cedo, em carro som, inda adolescente na empresa Torres e Propaganda.
Mas foi em um concurso Voz de Campeão em 1999 que Guto mostrou todo o seu talento nos microfones. Tratava-se de uma vaga para substituir Geraldo Magela que deixou a Liberal FM. O concurso mobilizou milhares de concorrentes. Afinal, tratava-se de uma vaga para substituir campeão de audiência das manhãs naquela época. O comunicador perdeu a disputa feita pela internet, o que até hoje é questionado por muitos que acharam o resultado injusto. Contudo, o resultado motivou ainda mais o comunicador a lutar para sonho do sucesso em rádio. E nesta busca ele passou por várias rádios piratas (Digital FM de Ananindeua, entre outras), comunitárias ( Belém FM). Acrescenta-se também a presença de Guto Miranda em locuções de porta de loja e campanhas políticas.
Digital FM - 2004
Evangélico, Guto sempre acreditou que tinha uma promessa de Deus a ser cumprida na sua vida. E depois de ser indicado para fazer locução de chamadas e vinhetas na TV Liberal, passou em pouco tempo, ser a voz padrão da emissora. Seu talento, inclusive, já o levou a viajar por vários Estados, inclusive o Rio de Janeiro, onde conheceu as Organizações Globo em um curso de especialização.
         Guto Miranda já passou por outras emissoras Rádio Marajoara FM. Atualmente, além da TV Liberal, ele trabalha na Rádio Boas Novas FM onde além de realizar o sonho de criança no rádio, evangeliza milhares de ouvintes.









quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Nonato Cavalcante - O Sabe Tudo

 Raimundo Nonato Cavalcante Nascimento nasceu em Traquateua ( que era Vila de Bragança) em 14 de Agosto de 1953. Começou no rádio quando venceu, em primeiro lugar, um concurso de locução na Rádio Educadora de Bragança. Tinha 21 anos quando chegou à Belém para ingressar no Jornalismo da Rádio Marajoara, pertencente aos Diários Associados. Nessa época a constelação da emissora tinha Ronaldo Pastor, Geraldo Magela, Paulo Ferrer, Gilberto Martins, entre outros. 
Ali passou um mês até se transferir para a Rádio Liberal no departamento de esportes. A equipe chefiada pelo narrador esportivo Jayme Bastos tinha o comentarista Grimoaldo Soares, Guarany Júnior e Raimundo Lima no BTP e os Pontas de Gol eram Edson Matoso e o recém chegado Nonato Cavalcante.
No ano seguinte retornou ao time da Super Marajoara mas para os departamentos de Esporte e o de Jornalismo. Ali trabalhou de 1975 até o início de 1981. Naquele ano a emissora foi vendida e Cavalcante se transferiu para recém inaugurada Rádio Cultura, então funcionando em Marituba.
Era Janeiro de 1982  quando foi levado por Ronald Pastor à Rádio Liberal. Mas em 1986, convidado pelo finado Cepeda, voltou à Rádio Marajoara, já de propriedade de Carlos Santos.
Então diretor de programação da Rádio Marajoara, Cepeda
levou Nonato Cavalcante para emissora de Carlos Santos em 1986
Em Dezembro de 1994 participou da maior reviravolta no rádio paraense quando foi contratado pela para a Rádio Clube, então última colocada no Ibope. Depois da contratação de Nonato Cavalcante vieram outros nomes como Guilherme Guerreiro no esporte ( que assim como Nonato, trouxe consigo um timaço de radialistas) e a emissora passou a crescer no gosto popular e desde então se mantém líder absoluta entre os ouvintes.

Clube da Manhã


No caso de Nonato Cavalcante, de emissora nova, já como Diretor de Jornalismo, criou o Clube da Manhã. E no primeiro ano Costa Filho, na Rádio Liberal, ainda era o preferido dos ouvintes. No ano seguinte, porém, o Clube da Manhã conquistou o primeiro lugar na audiência e nunca mais deixou este posto.
“Bom dia, Belém! Bom dia, Pará! Bom dia, Brasil! Bom dia, Mundo!”. É com esta saudação vigorosa, diariamente, de segunda a sexta, à partir das sete horas, que Nonato Cavalcante abre a programação jornalística investigativa de sua equipe de redatores, locutores e rádio-repórteres com o programa "Clube da Manhã". Programa jornalistico com comentários, análises dos conhecimentos do dia-a-dia, informações sobre trânsito da cidade, economia, política, horóscopo e entrevistas que fazem o jornalismo da Rádio Clube dar um banho de liderança e aceitação popular. Isso porque, como sempre afirma Nonato Cavalcante, "aqui, definitivamente, você sabe tudo". Por esta expressão que Nonato ganhou o apelido de "Sabe Tudo" do "Repórter de Todos do Tempos", Carlos Estácio.

sábado, 1 de novembro de 2014

Paulinho Montalvão - o repórter ação

            Ele começou no rádio em meados da década de 80 na Rádio Guajará em uma das mais férteis épocas da comunicação radiofônica no Pará. São da mesma época Nonato Pereira, Wladimir Costa, Valm ir Rodrigues, entre outros. Nos anos 90, Montalvão se destacou como repórter no programa Chamada Geral, apresentado por Wladimir Costa. Nesta época também despontaram Jorge Wilson e Jefferson Lima.

Depois Montalvão passou pelas rádios Liberal, onde apresentou "Metrópole em Alerta". Montalvão sempre usa em suas apresentações máximas que são incorporadas. Assim foram popularizadas frases como "Ela te colocou chifres e não asas, para com isso, as pessoas tem que aceitar uma separação, a fila anda e a vida também!".
Na Marajoara o comunicador nascido em 14 de setembro de 1962 se destacou na apresentação do lendário Patrulha na Cidade.
Paulinho Montalvão é publicitário, jornalista, radialista e jornalista e agora também é acadêmico de Direito.
Agora na apresentação do Linha de Frente pela Rádio Clube, Paulinho continua a apresentar o cotidiano da cidade, reportagens investigativas, críticas de fatos do interesse da população, além de um serviço disque denúncia.

João Cunha - Ritmo do Jogo

Nascido em 5 de junho de 1954, João Cunha é um dos melhores comentaristas esportivos do Pará. Elegante na locução e transbordando cultura. Assim é João Cunha. Ele tem uma trajetória de vida ligada à cultura paraense, sobretudo o carnaval. O radialista é compositor de sucesso muito querido entre os amantes do samba. E foi assim que ele foi parar na Rádio Marajoara. Mas em Outubro de 1999 João Cunha ingressou na Rádio Clube e na ânsia de juntar numa atração de rádio a cultura, a música de qualidade, mais futebol, João Cunha criou o Ritmo do Jogo. Atração de amplo sucesso nas tardes de sábado que conta com a participação de ícones do rádio como Cláudio Guimarães, Valmir Rodrigues e os eletrizantes falando de Remo e Paysandu, Paulo Caxiado e Dinho Menezes, respectivamente. O Ritmo do Jogo é inovador. Em comoemoração aos seus 14 anos chegou até a promover uma Copa de Futebol Pelada, claro, com muito samba.
Tantas glórias no rádio, segundo ele próprio, não seriam possível sem o apoio incondicional da esposa, Maria da Graça.