segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Jefferson Lima - Show da Manhã

Jefferson Ely Vale de Lima nasceu em 30 de Novembro de 1974. Desde a minha infância pobre na Pedreira, “trabalhando na taberna do saudoso Bordalo, ou vendendo picolé nas ruas eu sempre alimentei o sonho de um dia mudar de vida com a força do meu trabalho” como conta Jefferson Lima que ainda acrescenta: “Pois sempre trabalhei muito. Eu chegava a conciliar o início de minha carreira na comunicação com um táxi que eu dirigia de madrugada para ajudar minha mãe nas despesas como fiz desde criança”.
No dia-a-dia passou a alimentar o sonho de trabalhar no rádio e na televisão. Enquanto esta realização não chegava, os microfones reservaram para Jefferson o trabalho como locutor de festas, na antiga Broduway, uma casa de shows no bairro de Canudos.

Com passagens por várias rádios do interior do Estado, inclusive Paragominas e Breves. E foi em 1995 que ele teve sua primeira oportunidade nas rádios de Belém. Primeiro a rádio 99 FM, depois a Rádio Jovem 100, 9 MHz ( hoje Mix FM). Contudo em 1999 passou a integrar a equipe de locutores da rádio Raland. Era o repórter OI do programa Comando Geral, apresentado por Wladimir Costa. Também participava do programa Alô Show de Nonato Pereira.
Naquele mesmo ano conseguiu seu próprio programa, primeiro a tarde, depois de manhã. Estra atração matinal, de 9h às 11h se chamava Show da Manhã.
Já tinha desde 2007 seu próprio programa de televisão (Jefferson Lima na TV na antiga emissora da rádio onde trabalhava, depois de rápida passagem pela Rede TV com o Repórter 47).Contudo em 2012, Jefferson Lima se lançou candidato a prefeito de Belém. Por compromissos eleitorais deixou o rádio e televisão. Voltou somente no ano seguinte. Na TV Grão Pará com o Programa Jefferson Lima Livre e desde 30 de setembro de 2013 na Rádio Boas Novas.  
Em Novembro de 2014, o comunicador passou para o Grupo RBA apresentando o Programa JJefferson Lima na 99 FM e na  RBATV.
Jefferson Lima, Nonato Pereira, Janjão e Paulo Brasil




Nonato Pereira - Mix Atualidades



  Raimundo Nonato Pereira nasceu em Belém no dia 30 de Janeiro de 1963. Filho único de Maria José, Nonato Pereira não conheceu o pai e cresceu na casa onde a mãe trabalhava. Ela faleceu quando o menino ainda tinha dois anos. 
Praticamente se auto sustentava desde cedo através de pequenos “bicos”, sem contar a ajuda nos afazeres domésticos. Entretanto, nestes serviços, o preferido era “cantar” bingo no quintal da casa de um vizinho, na Travessa Angustura, na Pedreira. Ali nascia o sonho de seguir a carreira de seus ídolos no rádio: Clayton Palmeira, Ronald Pastor e Eloy Santos.
Com quinze anos saiu de casa para morar na companhia de amigos. Nesta época, enquanto estudava no colégio Vilhena Alves, aprimorava sua locução como mestre de cerimônia do colégio, função que praticamente garantiu quando chegou a presidência do Grêmio Estudantil.  Nesta época trabalhava como locutor de porta de lojas no centro comercial de Belém, além disto gravava comercial para as empresa de publicidade de Orly Bezerra, que anos mais tarde fundaria uma das maiores agencias de Comunicação do Pará, a Griffo.
Começou no rádio em rádio em 1986, na Rádio Guajará FM ao lado de Hélio Dória, Fernando Navarro, Agostinho Monteiro e Walmir Rodrigues. Antes disso, teve experiência como repórter da TV Bandeirante, que a época não tinha uma filial no Estado, hoje a TV RBA.
No final dos anos 90 passou para a Rádio Liberal FM onde apresentou até 1997 o Show dos Bairros. Depois se transferiu para a Rádio Rauland, onde permaneceu até 2010.
Desde 30 de Janeiro de 2011 apresenta o Mix Atualidades na Mix FM 100,9 MHz, antiga Marajoara FM. A atração que começou a tarde desde novembro de 2011 passou para as manhãs da emissora.


quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Luís Eduardo Anaice - O repórter

Ainda muito jovem Luiz Eduardo Anaice da Silva, natural de Macapá, Amapá, começou a trabalhar como radialista. Nascido em 21 de Dezembro de 1953, tinha pouco mais de 18 anos quando se aventurou nos microfones. Mas foi em Belém que ele alcançou o sucesso. Veio para capital paraense a convite de Edir Proença quando a Rádio Clube funcionava no Palácio do Rádio, na Av. Presidente Vargas. Anaice substituiu Parziale quando este se mudou para o Rio de Janeiro, que estava no lugar de Haroldo Caracciolo, que havia falecido. Depois se transferiu para a Rádio Marajaora como repórter policial, onde chegou a apresentar o lendário programa "Patrulha da Cidade". Depois da repercussão na rádio, foi convidado em 1992 para compor a equipe do programa Barra Pesada da RBA TV, foi  a primeira vez que trabalhou na TV. Até então Anaice nem cogitava em entrar para a vida pública. Novamente, o sucesso de seus programas acabou por convencê-lo a seguir a carreira política. “As coisas foram acontecendo de maneira espontânea, pensei que não tinha condições para trabalhar como apresentador e quando me deparei, estava ancorando o programa Metendo Bronca” conta ele que em 2000 foi eleito vereador e 2 anos depois deputado estadual. Na Assembleia Legislativa permaneceu por dois mandatos.
Era 1999 quando ganhou seu próprio programa de TV. O  Metendo Bronca, agora apresentado por Joaquim Campos, se mantém  como um programa policial que tem o objetivo de informar os telespectadores dos acontecimentos locais e do interior do Estado. Tanto sucesso lhe deixou como dos campeões de audiência da emissora, sem mais espaço para anúncios e propagandas, pois o Metendo Bronca já tinha um grande apelo popular. Lá foram incorporadas pela população frases como “O pau te acha” “Aplica” e “Chicote nele”, que Anaice usava no rádio.


terça-feira, 24 de setembro de 2013

Nonato Santos - “Comentarista da Palavra Forte”




O radialista Nonato Santos escreveu seu nome conhecido no meio esportivo como o “Comentarista da Palavra Forte”. Santos iniciou a carreira no rádio em 1974. Amante do futebol, sobretudo paraense, viajava pelos interiores do Pará atrás de notícias também do futebol amador. Ao seu lado, outro grande nome do rádio Laulito Miranda.
O Comentarista da Palavra Forte trabalhou na Rádio Clube do Pará, Marajoara, entre outras potências da cobertura jornalística esportiva, sendo a Rádio Metropolitana FM a última onde dividiu os microfones na equipe esportiva comandada por Jorge Luís. 
Falecido em 24 de Agosto deste ano, Nonato Santos recebeu homenagem de toda a crônica esportiva paraense. Afinal, por onde passou, ale´m de talento, deixou como marca a amizade.
No blog A Hora do Carapirá, quando Nonato Santos faleceu, um registro ( mais um)de respeito e admiração intitulado "Comentarista da Palavra Forte se cala" merece ser repetido por definir a importância deste comunicador que com maestria e elegância sabia com sua linguagem culta, ainda assim ser entendido por todas as torcidas.
"Pensando nesta perda relembro o que disse o saudoso humorista Chico Anisyo: Eu não tenho medo de morrer. Eu tenho pena. Tenho pena de morrer. Por que morrendo eu não vou ver meus netos crescerem, meus bisnetos. E isso me dá pena de morrer, mas medo eu não tenho. A frase 'ninguém é insubstituível' aplica-se a tudo, menos no humor. Por que no humor, todos nós somos insubstituíveis. Nunca mais vai existir um Oscarito, um Grande Otelo, um Mussum, um Rogério Cardoso, um Zacarias, um Francisco Milani. Nunca mais. Porque... somos todos insubstituíveis.
Aí eu acrescento, velho Chico, nem o Rádio tal frase se aplica. Pois nunca mais surgiu um outro Paulo Ronaldo, Elói Santos, Walter Bandeira... e agora também não surgirá outro Nonato Santos.
Descanse em Paz".



Carlos Santos – O amigo do povo




 Carlos José Oliveira Santos Carlos Santos. Nasceu em Salvaterra, Ilha do Marajó, Pará, em 12 de Novembro de 1951. Aos oito anos já falava no sonoros Carioca, serviço de autofalantes do Pai Carlos Santos Filho_ o seu Ari. Carlos anunciava os sabores de picolé e sucos vendidos na sorveteria do Pai. Já aos 13 anos, o jovem chegou a Belém. Era 1964 ano, o início da Ditadura Militar. Na época participou de programas de calouros, entre os quais o “Kzan Cerpa Show”, apresentado por Kzan Lourenço nos bairros e cidades do interior. Santos também participava aos sábados na Rádio Guajará AM 1280, onde imitava o cantor Paulo Sérgio.
Começou na Rádio Clube do Pará em 1972 participando do programa “Boa Noite Pará” na OT-Onda Tropical. Ele levava lançamentos de suas lojas para divulgar e anunciar as ofertas. A atração era apresentada por Jota Meninéia, patrocinado pela Discolux e Discolândia, as primeiras lojas de discos e que deram origem ao Grupo Carlos Santos. Também participava do programa, o Wilson Kawagem, proprietário do Armazém Kawagem. Trêz meses depois, transferiu-se para Rádio Guajará. Era 18 de Abril de 1973. Ali foi lançando o Programa Carlos Santos, aos domingos pela manhã e tinha como diretor Raimundo Sepeda.
Em Janeiro de 1975 aceitou o convite de Walter Guimarães e se transferiu para Rádio Liberal AM 1330 e lançou varias sequências de programa como “Roleta Premiada”, “Misturada Musical”, “Acertou Ganhou”, “Complete a Frase”, “A Sorte na Sua Casa”. Características, a época peculiares do comunicador, contavam com a participação do ouvinte por carta e telefone, além de distribuição de prêmios aos ouvintes, sempre. Outra característica marcante: a participação do Repórter da Felicidade, (Paulo Ferrer, Gilberto Martins, Adonai do Socorro) que ia até a casa dos ouvintes levando presentes para os ouvintes e clientes das lojas do Grupo Carlos Santos: Feirão discos e fitas, Manchete Modas e Avistão - o menor preço avista.
Em 1975, como parte das comemorações de seu aniversário, Carlos Santos comprou 200 ingressos e levou 100 crianças para brincarem no parque do Largo de Nazaré. E assim foi por muitos anos e não vai ser diferente este ano.

Carlos Santos ficou na Liberal até 31 de Dezembro de 1980. Em Março de 1981 estreou na Rádio Marajoara AM 1130 com grande Show do cantor Marcos Roberto. O artista era sucesso Nacional e o evento também teve a presença de artistas regionais. No final do contrato de um ano da atração, Carlos arrendou a Rádio Marajoara e no Dia 1º de Maio de 1982 comprou as Emissora Rádio Marajoara Ltda. E em Junho, na Copa do Mundo naquele ano foi lançada a campanha “Olho na TV, coração na Marajoara”. Foi um grande sucesso da época. O ano ainda reservava mais novidades. Por isso no mês de Outubro do mesmo ano Carlos Santos fez o maior show já realizado por uma emissora de rádio em Belém com mais de 100 mil pessoas na Praça da República. Este evento também contou com a participação de 22 cantores de sucesso nacional. Vale ressaltar que fora do rádio, Carlos Santos também é sinônimo de sucesso como cantor. Destaque para o sucesso “Quero Você”, entre outros. Carlos Santos volume 4 - "Quero Você" vendeu 1.200.000 copias
Na política, chegou a Governador do Estado do Pará ao assumir o lugar de Jáder Barbalho quando este deixou a cadeira e se lançou ao Senado. Também chegou a ser homenageado como tema e samba enredo de Escola Embaixada de Samba Império Pedreirense, no Carnaval de 2002.

Do rádio para a TV

Em 12 de Novembro de 1988 estreou o Programa Carlos Santos na TV no SBT canal 5, aos Sábados. Depois o comunicador passou a apresentar na TV Guajará, Canal 4. E se transferiu à RBA Canal 13 até que também ganhou outras regiões quando também passou a ser exibido na TV Diário de Fortaleza, Rede Bandeirantes de São Paulo, RBI de São Paulo. A Embratel, através de antenas parabólica, passou a exibir o programa para todo o todo o Brasil, na SKY, na Rede Brasil de Televisão.
O Programa Carlos Santos permanece no ar pela Super Rádio Marajoara AM 1130 aos domingos das 10h às 12h. O Programa Carlos Santos no Rádio e Televisão já abriu espaço para artistas consagrados e principalmente para os novos talentos. Entre estes nomes destacam-se Roberto Villar, Pinduca, Beto Barbosa, Frankito Lopes, Cia. do Calypso, Banda Calypso, Gaby Amarantos, entre tantos outros que iniciaram a carreira se apresentando no Programa Carlos Santos.

Este artista-radialista que tem como maiores inspiradores Roberto Carlos, Silvio Santos e Pelé, hoje também amigos pessoais. Admirador de Abraham Lincoln, ex-Presidente dos E.U.A e Steve Jobs _fundador Apple_ pela superação e talento de ambos, Carlos Santos lança em breve sua biografia também repleta de superação. O livro já tem nome: Carlos Santos - De camelo a governador, a história de um vencedor.

 Os planos de Carlos Santos são ainda mais audaciosos. Ele vai impulsionar a divulgação na internet. Pois tem mais de 20 mil seguidores no Twitter, (carlossantostv e carlossantostv1), mais de 3 mil no Instagram, (carlossantos8) e já passou de 5 mil na Fan-page, além de mais de 140 mil nos vários seus grupos e perfis no Facebook.


Carlos Santos é evangélico, casado com Aline Santos, Pai de 9 filhos, 6 netos e uma bisneta, gosta de rádio, TV, internet, livros, cinema, ficar em casa e viajar com a família.